Empreendedorismo Social, Inovação e Benchmarking no Instagram para combater os efeitos negativos do COVID-19 numa visão luso-brasileira

Annaelise Fritz Machado, Bruno Barbosa Sousa, Teresa Dieguez, Miguel Barbosa Ribeiro, Francisca Braga Cunha

Abstract


Objetivos: este estudo visa tentar perceber como Portugal e o Brasil têm vindo a apresentar ações inovadoras de empreendedorismo social e benchmarking no Instagram, para combater os efeitos negativos da COVID-19, Como objetivo principal pretende-se identificar eventuais diferenças e como objetivos específicos compreender o empreendedorismo social como um projeto de inovação e transformação, relacionando o seu propósito enquanto motor do desenvolvimento humano e incentivo às boas práticas sociais.

Metodologia: contributo teórico com revisão de literatura e um estudo de caso na visão luso-brasileira, com uma análise de ações relacionadas com Boas Práticas identificadas junto das empresas e/ou indústria, assim como nas Instituições do Ensino Superior e Benchmarking de marcas no Instangram em confinamento social.

Originalidade: o presente estudo pretende contribuir para a compreensão das diferenças de resposta ao impacto da COVID-19, em Portugal e no Brasil, no que concerne ao empreendedorismo social, e benchmarking em contextos de redes sociais.

Resultados: a abordagem ao empreendedorismo social e de boas práticas de comportamento socialmente responsável tende a alterar-se em função do país, bem como do momento e do impacto do novo coronavirus nas populações locais. Contudo, é evidente a importância do empreendedorismo social no combate aos efeitos nefastos causados pela pandemia.

Implicações práticas: numa perspetiva interdisciplinar o presente estudo apresenta inputs para a área do empreendedorismo e da inovação, bem como contributos para o entendimento das ações feitas por Portugal e Brasil para combater os impactos negativos do COVID-19.

Limitações da pesquisa: a pesquisa bibliográfica em artigos peer-reviewed que aborde o impacto da COVID-19 e as soluções geradas no âmbito da inovação e do empreendedorismo.

Palavras chave: empreendedorismo social, inovação, benchmarking no Instagram, COVID-19.


Full Text:

PDF

References


Abreu, L. (2020). Coronavírus: quais medidas as empresas podem tomar diante da pandemia de COVID-19. Disponível em: https://rockcontent.com/blog/coronavirus/.

Baggio, A. F; Baggio, D. K. (2014). Empreendedorismo: Conceitos e Definições. Rev. de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia, 1(1), p. 25-38.

Baltazar, Maurício. (2019). Benchmarking para Redes Sociais: multiplique o seu engajamento aprendendo com outros. Disponível em: https://rockcontent.com/blog/benchmarking-para-redes-sociais/.

Barbalho, A; Uchoa, C. do V. (2019). Empreendedorismo social como campo em formação no Brasil: o papel das instituições Ashoka, Endeavor e Artemisia. Interações, vol.20, no.2, Campo Grande. Disponível em: https://doi.org/10.20435/inter.v0i0.1840 .

Belanche, D., Casalo, L. V., Flavian, C.; Guinaliu, M. (2010). Online social networks in the travel sector. International Journal of Electronic Marketing and Retailing , 3 (4), 321-340.

Bessant, J.,& Tidd, J. (2009). Inovação e empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman.

Björklund, M. (2010). Benchmarking tool for improved corporate social responsibility in purchasing. Benchmarking: An International journal, (pp. 340 - 362) - volume 17 issue 3 Special issue: Benchmarking the Greening of Business, Published.

Bruno-Faria, M. de F.; Fonseca, M. V. de A. (2014) Cultura de Inovação: Conceitos e Modelos Teóricos. ANPAD. Rio de Janeiro, v.18, n.4, pp. 372-396.

Caetano, J.; Vasconcelos, M; Vasconcelos, P. (2006). Gestão de crise. Lisboa: Editorial Presença.

Camillo, Tiago de Araujo. Covid-19: conjuntura política e tendências. Instituto Federal do Espírito Santo.

Campinho, A. L. (2020). Empreendedorismo Social: Estudo caso do “dive project” . Tese de Mestrado para obtenção de Grau de Mestre em Gestão das Organizações, Ramo de Gestão de Empresas, no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave

Caraça, J., Lundvall, B. -Å., & Mendonça, S. (2009). The changing role of science in the innovation process: From Queen to Cinderella? Technological Forecasting and Social Change, 76, 861–867.

Carayannis, E.G.; Gonzalez, E.; Wetter, J.J. (2003). The nature and dynamics of discontinuous and disruptive innovations from a learning and knowledge management perspective. In: Shavinina, L.V. (Org.). The international handbook on innovation. Oxford: Elsevier Science, parte II, cap.7.

Cardoso, A., Sousa, B. & Cunha, A. (2017). Technological entrepreneurship applied to Green Spaces and Ecoto.urism. European Journal of Applied Business and Management, Special Issue, pp. 336-347, ISSN 2183-5594.

Casagrande, R; Branco, P. M. C. (2018). Empreendedorismo social: as dificuldades para abertura de um empreendimento e a formação de gestores sociais: desafios e perspectivas. Revista eletrônica de Ciências Empresarias. V. 10, n.14.

Chiamulera, Felipe. (2018). Benchmarking como ferramenta de gestão na Administração Pública. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 03, Ed. 10, Vol. 03, pp. 131-139.

Chien, L. (1983). Influenza. fn: Hoeprich, P,D. {ed.): Infectious diseases, 3 cd, Philadelpliia, Harper & Row Publ., p. 323.

Dees, G. (2009). Social Ventures as Learning Laboratories. Innovations, (special edition) 11-15.

Dornelas, J. C. A. (2004). Empreendedorismo corporativo: Conceitos e aplicações. Revista de Negócios, v. 9, n. 2.

Drucker, P. F. (1998). Inovação e espírito empreendedor: práticas e princípios. São Paulo: Pioneira.

Dubar, C. (2009). A crise das identidades: a interpretação de uma mutação. São Paulo: Edusp.

Falcão, M. (2019). Dinheiro Vivo. O estado de Portugal em matéria nas redes sociais. Disponível em: www.dinheirovivo.pt.

Ferreira, J., Sousa, B. and Gonçalves, F. (2019), "Encouraging the subsistence artisan entrepreneurship in handicraft and creative contexts", Journal of Enterprising Communities: People and Places in the Global Economy, Vol. 13 No. 1/2, pp. 64-83. https://doi.org/10.1108/JEC-09-2018-0068

Ferro, M. Obervador. (2020). O Covid-19 e a internacionalização das Universidades. Disponível em: https://observador.pt/opiniao/o-covid-19-e-a-internacionalizacao-das-universidades/

Filippe, M. (2020). Exame. Marcas se unem com o objetivo de frear a disseminação do coronavírus. Disponível em: https://exame.abril.com.br/marketing/marcas-se-unem-com-o-objetivo-de-frear-a-disseminacao-do-coronavirus/.

Gusmão, A. (2020). 15 iniciativas educacionais, de apoio e incentivo que as empresas têm realizado diante da COVID-19. Disponível: https://rockcontent.com/blog/iniciativas-covid-19/.

Hall, J., Daneke, G. & Lenox, M. (2010). Sustainable development and entrepreneurship: Past contributions and future directions. Journal of Business Venturing, 25, 439-448

Harvey, D. (2011). O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo.

Iapmei. (2014). Imersão na metodologia de Benchmarking e Boas Práticas, IAPMEI. Disponível em: https://blogcatim.blogspot.com/2014/07/imersao-na-metodologia-de-benchmarking.html.

Lages, R.; Sousa, B.; Azevedo, A. (2018). O posicionamento e a imagem em contextos de marketing de destinos turísticos: estudo de caso aplicado à cidade de Braga. European Journal of Applied Business Management, Special Issue, pp. 15-32

Lampreia, J. M. (2007). Da gestão de crise ao marketing de crise. Lisboa: Texto Editores.

Larivière, V.; Shu, F.; Sugimoto, C. R. (2020). O surto de coronavírus (COVID-19) ressalta sérias deficiências na comunicação científica

Leite, A., & Oliveira, F. (2007). Empreendedorismo e Novas Tendências. Estudo EDIT VALUE Empresa Junior, 5, 1-35.

Magalhães, S. S. A.; Machado, C. J. (2014). Conceitos epidemiológicos e as pandemias recentes: novos desafios. Cad. Saúde Colet, Rio de Janeiro, 22 (1): 109-10. DOI: 10.1590/1414-462X201400010016.

Marcela, A. (2020). Retalhista junta-se a um conjunto de marcas e cadeias que tem vindo a realizar doações para ajudar ao combate do surto do Covid-19.

Mair, J., & Marti, I. (2006). Social entrepreneurship research: A source of explanation, prediction, and delight. Journal of World Business, 41, 36-44.

Malheiro, A.; Sousa, B. & Ferreira, L. (2019). Compreender o papel das redes sociais no comportamento do consumidor: a perspetiva do setor hoteleiro na região norte. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação (RISTI), E24 (11), pp. 299-312.

Marasco, C. (2020). Festivais de música têm shows online na quarentena do coronavírus. Disponível em: https://www.nsctotal.com.br/noticias/festivais-de-musica-tem-shows-online-na-quarentena-do-coronavirus.

Marques, R. (2020). Empreendedorismo social: o que é? Disponível em: http://empreendedorismo.pt/empreendedorismo-social-o-que-e/.

Martins, M. M. C; Protil, R. M; Doliveiras, S. L. (2010). Utlização do benchmarking na gestão estratégica das cooperativas agroindustriais paranaense. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações – FEA-RP/USP, v. 4, n. 10, p. 127-151.

Martins, P. G. (2020). Covid-19: empresas portuguesas reinventam-se para se juntarem à guerra. Disponível em: https://tvi24.iol.pt/economia/hospitais/covid-19-empresas-portuguesas-reinventam-se-para-se-juntarem-a-guerra.

Mendes, A. (2017). Uma Visão da Estrutura da Economia Social em Portugal para além da Conta Satélite e a Relevância de uma Abordagem de Base Comunitária ao Empreendedorismo Social. Artigo apresentado em ”III Fórum da Economia Social”.

Miguez, V. B.; Lezana, Á. G. R. (2017). Empreendedorismo e inovação: a evolução dos fatores que influenciam o empreendedorismo corporativo. http://dx.doi.org/10.22279/navus.2018.v8n2.p112-132.624.

Monaco, J. (2020). Hotéis do Rio estão prontos para receber idosos com covid-19. Disponível em: https://www.panrotas.com.br/hotelaria/mercado/2020/03/hoteis-do-rio-estao-prontos-para-receber-idosos-com-covid-19_172443.html

OECD - Organisation for Economic Co-operation and Development (2018). The future of education and skills Education 2030. The Future we want. OECD 2018. Directorate for Education and Skills. Paris: France

Oliveira, J. (2020). Ações e doações: como marcas estão ajudando pessoas e mercado durante Covid-19. Disponível em: https://propmark.com.br/novo-coronavirus/acoes-e-doacoes-como-marcas-estao-ajudando-pessoas-e-mercado-durante-covid-19/

O Minho. (2020). IPCA já produziu e distribuiu 10 mil viseiras em pouco mais de uma semana. Disponivel em: https://ominho.pt/ipca-ja-produziu-e-distribuiu-10-mil-viseiras-em-pouco-mais-de-uma-semana/.

Oslo: diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. 3. Ed. Brasília, DF:FINEP, 2005.

Parente, C. (2014). Empreendedorismo social em Portugal. Universidade do Porto . Faculdade de Letras. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/73385/2/88711.pdf.

Patzelt, H. & Shepherd, D. (2011), The New Field of Sustainable Entrepreneurship: Studying Entrepreneurial Action Linking “What Is to Be Sustained” With ‘What Is to Be Developed’”, Entrepreneurship: Theory and Practice, 35 (1), 137-163.

Picciotti, A. (2017). Towards Sustainability: The Innovation Paths of Social Enterprise. Annals Public and Cooperative Economics, 88 (2), 233–256

Ramos, G. (2020). Há (bom) cinema grátis para ver em casa nesta quarentena. Disponível em: https://www.publico.pt/2020/03/31/p3/noticia/ha-bom-cinema-gratis-casa-quarentena-1909808.

Ramosa, P. E. G. T.; Martins, A. de O. (2018). Reflexões sobre a rede social Instagram: do aplicativo à textualidade. Texto Digital, Florianópolis, v. 14, n. 2, p. 117-133. https://doi.org/10.5007/1807-9288.2018v14n2p117.

Rezende, J. M. de. (1998). Epidemia, endemia, pandemia

epidemiologia. Revista Patologia Tropical. Vol. 27(1): 153-155.

RBA – Rede Brasil Atual. (2020). De norte a sul, a corrida da ciência e das universidades públicas contra a covid-19.

Santos, L. A. de A; Simões, L. S.; Buck, T. de A. (2013). Inovação como estratégia para o desenvolvimento sustentável praticado pelas empresas. RISUS - Journal on Innovation and Sustainability Volume 4, número 3.

Saxena, A., & Khanna, U. (2013). Advertising on social network sites: A structural equation modelling approach. Vision , 17 (1), 17-25.

Teece, D. J. (2016). Dynamic capabilities and entrepreneurial management in large organizations: Toward a theory of the (entrepreneurial) firm. European Economic Review, v. 86, p. 202-216.

Tuon, Lígia. (2020). Onda de previsões já aponta para redução de até 9% no PIB do Brasil em 2020. Disponível em: https://exame.abril.com.br/economia/onda-de-revisoes-ja-apontam-para-recuo-de-ate-9-na-economia-em-2020/.

Ujvari, S. C. (2011). Pandemias: A humanidade em risco. São Paulo: Contexto, 220 p. ISBN: 978-8-7244-632-7.

Vermelho, S. C.; Velho, A. P. M.; Bonkovoski, A.; Pirola, A. (2014). Refletindo sobre as redes sociais digitais. Educ. Soc. vol.35, no.126, Campinas. https://doi.org/10.1590/S0101-73302014000100011

Vieira, C. M. Do C. (2015). Benchmarking para empresas consultoras: uma abordagem preliminar. (Dissertação de Mestrado). Faculdade de engennharia da Universidade do Porto. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/79394/2/35527.pdf.

Zeng, B., & Gerritsen, R. (2014). What do we know about social media in tourism? A review. Tourism Management Perspectives , 10 , 27-36.




Copyright (c) 2020 European Journal of Applied Business and Management

ISSN: 2183-5594 

Indexing: GOOGLE SCHOLAR - LATINDEX - DRJI - ICI JOURNALS MASTER - REDIB