A Cidade de Fátima: História, Desenvolvimento e Perspetivas Económicas

Matheus Belucio, José Alberto Fuinhas, Carlos Vieira

Abstract


Proposal and Approach: The research was inspired in Glaeser (2005), that addressed the rise of New York and its continued success. The objectives of this study were defined as follows: (i) evidence the growth of the city of Fátima in population density and number of pilgrims; (ii) indicate the relationship between the population growth rate and the number of pilgrims through an econometric model based in time series; and (iii) contribute to the literature on the historical context of the largest religious tourism destination in Portugal.

Results: Through the descriptive, historical, and bibliographic analysis of a set of statistical information, it is possible to present the urban and economic development of the city of Fatima. The city stands out in population when compared to the other parishes in its municipality. Indeed, it exceeded the country's population growth rate and, compared to other three host cities for Marian religious tourism (Aparecida, Lourdes and La Sallete), the Portuguese city also shows a high rate of population growth. Considering the empirical analysis, it appears that with the increase in the population growth rate, there is a positive impact on the number of pilgrims to the Sanctuary of Fátima in the long-run.

Limitations: Several historical events that were not mentioned. The small number of sanctuary-cities that were used to assess the success of Fatima worldwide. Compared with the study by Glaeser (2005), only variables related to the population could be analysed.

Originality/value: This study brings a series of historical and statistical information that can benefit researchers in the elaboration of the state of the art of new articles on religious tourism in Fatima. It reinforces the success of the city of Fatima and proposes some public policy measures focusing on the sustainable economic development of religious tourism in Fatima.


Full Text:

PDF

References


Ambrósio, V. (2006). O turismo religioso: desenvolvimento das cidades -santuário (Tese de doutoramento, Universidade Nova de Lisboa).

Aulet, S.; Mundet, L.; Vidal, D. (2017). Monasteries and tourism: interpreting sacred landscape through gastronomy. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. 11(1), 175-196.

Aydin, O. (2016). Tourism Income of Turkey: A Panel Data Approach. Procedia economics and finance, 38, 245-256.

A12 (2019). Você conhece o arquiteto que projetou o maior Santuário Mariano do Mundo? Consultado em: 20/03/2020. Disponível em: https://www.a12.com/santuario/noticias/voce-conhece-o-arquiteto-que-projetou-o-maior-santuario-mariano-do-mundo.

Belucio, M., & Fuinhas, J. A. (2019). Fatores que influenciam as visitas turístico-religiosas ao Santuário de Fátima: uma perspectiva econômica. Estudos de Religião, 33(2), 159-180.

Belucio, M., Fuinhas, J. A., Antunes, J., Sá, V., & Mota, J. (2019). The impact of wealth and poverty on gambling expenditure in the United States. Revista de Estudos Sociais, 21(42), 174-195.

Câmara Municipal de Ourém (2001). Relatório do Plano de Urbanização de Fátima. Consultado em: 22/05/2018. Disponível em: http://www.ourem.pt/index.php/documentos/territorio/territorio/plano-de-urbanizacao-de-fatima/relatorio/download.

Câmara Municipal de Ourém (2016) Caraterização do Território. Consultado em: 30/06/2018 Disponível em: http://www.ourem.pt/index.php/investir-em-ourem/caraterizacao-do-territorio.

Câmara Municipal de Ourém (2018). Fátima. Consultado em: 22/05/2018. Disponível em: http://www.ourem.pt/index.php/municipio/freguesias/fatima.

Caveiro, A. (2017) Bombeiros de Fátima dizem ser difícil acudir a todas as solicitações. Correio da Manhã. 02 de Janeiro de 2017. Portugal. Consultado em: 20/06/2018. Disponível em: https://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/bombeiros-de-fatima-dizem-ser-dificil-acudir-a-todas-as-solicitacoes.

Censo da População de Portugal (1864). 1864 - 1 de Janeiro (I Recenseamento Geral da População). Consultado em: 20/06/2018. Disponível em: https://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=censos_historia_pt_1864.

Chadha, H.; Onkar, P. (2016). Changing Cities in the Perspective of Religious Tourism–A Case of Allahabad. Procedia Technology. 24, 1706-1713.

Del Vecchio, P., & Passiante, G. (2017). Is tourism a driver for smart specialization? Evidence from Apulia, an Italian region with a tourism vocation. Journal of Destination Marketing & Management, 6(3), 163-165.

Fernandes, C., Richards, G., & Rebelo, M. (2008). O Turismo Religioso no Norte de Portugal: Avaliação do seu Potencial de Desenvolvimento. Revista Turismo & Desenvolvimento, (9), 45-62.

Fuinhas, J. A., Marques, A. C., & Belucio, M. (2017). O impacto das peregrinações no turismo religioso. Análise e previsão do fenómeno Mariano de Fátima. In F. Matias, J. A. C. Santos, C. Afonso, C. Baptista, C. M. Q. Ramos, & M. C. Santos (Eds.), Estudos de Gestão e Empreendedorismo (pp. 605–626). Faro, Portugal, Universidade do Algarve.

Fuinhas, J. A., Belucio, M., Santiago, R., Afonso, T. L., (2019). Exercícios Introdutórios de Análise Económica de Dados. Covilhã, Portugal, UBI – Universidade da Beira Interior.

Glaeser, E. L. (2005). Urban colossus: why is New York America's largest city? (No. w11398). National Bureau of Economic Research.

Gouveia, M., Aragonez, T., & Saur-Amaral, I. (2015). A imagem da Região Centro de Portugal: a perspetiva dos seus residentes. Tourism & Management Studies, 11(2), 93-102.

IBGE (2017). Produto Interno Bruto dos Municípios 2017. Instituto Brasileiro de

Geografia e Estatística – IBGE. Consultado em: 04/04/2020. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/aparecida/pesquisa/38/46996?indicador=47004.

IBGE (2019) Cidades e Estados: Aparecida - código: 3502507. Consultado em: 06/06/2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sp/aparecida.html.

INE (2014). Censos em Portugal de 1864 a 2011. Consultado em: 04/04/2020. Disponível em: https://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=censos_historia_pt.

INSEE (2019) Statistics and studies. Consultado em: 26/03/2018. Disponível em: https://insee.fr/en/statistiques?debut=0&geo=TOUTES_COMMUNE-1.

Incera, A. C., & Fernández, M. F. (2015). Tourism and income distribution: Evidence from a developed regional economy. Tourism Management, 48, 11-20.

Instituto Nacional de Estatística (2011) XV recenseamento geral da população, V recenseamento geral da habitação. Resultados definitivos Centro. Consultado em: 26/03/2018. Disponível em: https://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=ine_censos_publicacao_det&contexto=pu&PUBLICACOESpub_boui=73212469&PUBLICACOESmodo=2&selTab=tab1&pcensos=61969554

Instituto Nacional de Estatística (2013). Estatísticas demográficas 2011. Consultado em: 04/05/2018. Disponível em: https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=156022440&PUBLICACOEStema=55466&PUBLICACOESmodo=2.

Instituto Nacional de Estatística (2018). Atividade Turistica – Dezembro de 2017. Consultado em: 26/03/2018. Disponível em https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=281091107&DESTAQUESmodo=2.

Lucas, E. (2017). Papa: Fátima falhou elevação a concelho há 14 anos, mas ideia mantém-se. Lusa - Agência de Notícias de Portugal S.A. 11 de Maio de 2017. Consultado em: 20/06/2018. Disponível em: https://www.dn.pt/lusa/interior/papa-fatima-falhou-elevacao-a-concelho-ha-14-anos-mas-ideia-mantem-se-8466536.html.

Ministério das Finanças (1911) Censo da População de Portugal. N I.º de Dezembro de 1911 (V recenseamento geral da população). Consultado em: 04/05/2018. Disponível em: https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes.

Neves, A. M. S. D. (2016). Casas (pós-) rurais entre 1900 e 2015: Expressões arquitetónicas e trajetórias identitárias (Tese de doutoramento, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa).

Pew Research Center (2014). Table: Religious Diversity Index Scores by Country. Consultado em: 11/04/2018. Disponível em: http://www.pewforum.org/2014/04/04/religious-diversity-index-scores-by-country/.

Pew Research Center (2015). The Future of World Religions: Population Growth Projections, 2010-2050. Consultado em: 02/04/2017. Disponível em: .

Prazeres, J., & Carvalho, A. (2015). Turismo Religioso: Fátima no contexto dos santuários marianos europeus. Rural Tourism Experiences, 13(5), 1145-1170.

Secretaria de Estado do Vaticano (2016). Annuarium Statisticum Ecclesiae 2015. Consultado em: 04/04/2017. Disponível em: https://press.vatican.va/content/salastampa/es/bollettino/pubblico/2016/03/05/estadisticas.html.

Santuário de Fátima (2012). Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Consultado em: 29/05/2018. Disponível em: https://www.fatima.pt/pt/news/basilica-nossa-senhora-rosario-fatima.

Santuário de Fátima (2018). Número de peregrinos no Santuário de Fátima em 2017 supera todas as expetativas. Consultado em: 26/03/2018. Disponível em: https://www.fatima.santuario-fatima.pt/pt/news/numero-de-peregrinos-no-santuario-de-fatima-em-2017-supera-todas-as-expetativas-2018-02-08.

Silva, P.C.D. (2012) O Santuário de Fátima: arquitetura portuguesa do século XX (Dissertação de Mestrado, Universidade Fernando Pessoa).

Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território (2012). Proposta Concreta de Reorganização Administrativa do Território - Município de Ourém. Consultado em: 28/05/2018. Disponível em: http://app.parlamento.pt/utrat/Municipios/Ourém/Ourem_Proposta.pdf.

World Travel Awards (2017). World Winners 2017. Consultado em: 23/03/2018. Disponivel em https://www.worldtravelawards.com/winners/2017/world.

World Bank (2020). World Development Indicators. Consultado em: 23/03/2019. Disponivel em: https://databank.worldbank.org/home.aspx.




Copyright (c) 2020 European Journal of Applied Business and Management

ISSN: 2183-5594 

Indexing: GOOGLE SCHOLAR - LATINDEX - DRJI - ICI JOURNALS MASTER - REDIB