Boas práticas na avaliação de desempenho: análise das unidades hoteleiras da região do Norte de Portugal

Orlando Lima Rua, Abel Carvalho

Abstract


Propósito: O objetivo fundamental é a análise das boas práticas da avaliação de desempenho nas unidades hoteleiras do Norte de Portugal.

Desenho/metodologia/abordagem: Foi utilizada uma abordagem quantitativa, através de um questionário relativo às boas práticas de avaliação de desempenho enviado aos gestores de topo de unidades hoteleiras compreendidas em base de dados fornecida pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), daí resultando uma amostra de 52 empresas.

Resultados: Os resultados obtidos permitem concluir que atualmente a maioria das unidades hoteleiras do Norte de Portugal são pequenas e médias empresas (PME), sem departamento de recursos humanos, sendo a gestão de recursos humanos sobretudo assegurada pela gestão financeira ou administrativa. Por outro lado, nas práticas atuais utilizadas na avaliação do desempenho observamos lacunas na ligação entre remunerações/administração salarial, registo de desempenho/possibilidade de promoção e lacuna ao nível dos planos de atividades e desenvolvimento dos colaboradores.

Limitações da investigação: Destacamos como principal limitação a natureza não probabilística e de conveniência e a dimensão da amostra.

Implicações práticas: Alteração de paradigma na avaliação do desempenho das unidades hoteleiras através da formulação e implementação das boas práticas sugeridas neste estudo, permitindo aos colaboradores por via de novos saberes, habilidades e competências acrescentarem valor para o crescimento contínuo e sustentável deste tipo de organizações.

Originalidade/valor: Trata-se de um estudo precursor no que respeita à análise das boas práticas de avaliação de desempenho nas unidades hoteleiras do Norte de Portugal.

Palavras chave: Boas práticas, avaliação de desempenho, unidades hoteleiras, Norte de Portugal.


Full Text:

PDF

References


Bloom, N., & Reenen, J. V. (2010). Human resource Management add productivity (L. S. Science, Ed.). London: Centre for Economic Performance.

Bowen, D. E., & Ostroff, C. (2004). Understanding HRM -firm performance linkages: The role of "strenght" of the HRM System. Academy of Management Review, 29(2), 203-221.

Caetano, A. (2012). Avaliação de desempenho. In A. L. Neves & R. F. Costa (Eds.), Gestão de Recursos Humanos de A a Z (pp. 84-87). Lisboa: Editora RH.

Camara, P. B. (2012). Manual de gestão e avaliação de desempenho. Lisboa: Editora RH.

Camara, P. B., Guerra, P. B., & Rodrigues, J. V. (2010). Novo Humanator Recursos Humanos e Sucesso Empresarial (4ª ed.). Alfragide: Publicações Dom Quixote.

Ceitil, M. (2008). Gestão de Recursos Humanos para o século XXI. Lisboa: Edições Sílabo.

Cerrato, D., & Piva, M. (2012). The internationalization of small and medium-sized enterprises:the effect of family management, human capital and foreign ownership. Journal of Management & Governance, 16(4), 617-644.

Chiavenato, I. (1999). Gestão de Pessoas. Rio de Janeiro: Campus.

Costa, A. R., & Azevedo, A. J. (2014). Destination Branding. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 11(1), 182-205.

Cunha, M. P., Rego, A., Cunha, R. C., Cabral-Cardoso, C., Marques, C. A., & Gomes, J. F. (2010). Manual de Gestão de Pessoas e do Capital Humano (2ª ed.). Lisboa: Edições Sílabo.

Dessler, G. (2003). Administração de Recursos Humanos, São Paulo: Prentice Hall.

Drucker, P. F. (1992). Gerindo para o futuro. Lisboa: Difusão Cultural.

Drucker, P. F. (2000). Desafios da Gestão para o século XXI. (Tradução Géraldine Correia). Porto: Livraria Civilização Editora.

Fazenda, N. (2015). Turismo 2020 - Plano de ação para o desenvolvimento do turismo em Portugal. Recuperado de http://www.turismodeportugal.pt/Portugu%C3%AAs/turismodeportugal/apresentacoes/Documents/Turismo-2020-Norte.pdf.

Fernandes, A., & Caetano, A. (2007). A avaliação do desempenho. In A. Caetano, & J. Vala (Eds.), Gestão de Recursos Humanos contextos, processos e técnicas (pp. 359-387). (3ª ed.). Lisboa: Editora RH.

Festing, M. (1997). International Human Resource Management Strategies in Multinational Corporations: Theoretical Assumptions and Empirical Evidence from German Firms. Management International Review, 37(Special Issue), 43-63.

Figueiredo, J. C. (2014). Turismo de Portugal Horizonte 2015. Lisboa: Turismo de Portugal.

Fisher, C. D. (2010). Happiness at work. International Journal of Management reviews, 12(4), 384-412.

Fletcher, M., & Harris, S. (2011). Knowledge acquisition for the internationalization of the smaller firm: content and sources. International Business Review, 21(4), 631-647.

Geringer, J. M., Frayne, C. A., & Milliman, J. F. (2002). In search of "Best Practices in International Human Resource Management: Research design and methodology. Human Resource Management, 41(1), 5-30.

Greenwood, M., & Freeman, R. E. (2011). Ethics and HRM: the contribution of stakeholder theory. Business & Professional Ethics Journal, 30(3-4), 269-292.

Hall, A., Neves, C. & Pereira, A. (2011). Grande Maratona de Estatística no SPSS. Lisboa: Escolar Editora.

Huselid, M. A. (2011). Celebrating 50 years: Looking back and looking forward: 50 years of Human Resource Management. Human Resource Management, 50(3), 309-312.

Huselid, M., & Becker, B. (1996). Methodological issues in cross-sectional and panel estimates of the human resources firm performance link. Industrial relations, 35(3), 400-422.

INE (Instituto Nacional de Estatística) (2014). Estatísticas do Turismo 2013 (Ed. 2014). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística.

Lajara, B. M., Lillo, F. G., & Sempere, V. S. (2003). Human Resource Management A success and failure factor in strategic alliances. Employee Relations, 25(1), 61-80.

Lauring, J., & Selmer, J. (2011). Multicultural Organizations: Does a positive diversity climate promote performance? European Management Review, 8(2), 81-93.

Lima, A. P. (2015). Queremos turistas viciados em Portugal. Jornal de Notícias, Especial Conferência de encerramento, pp. 1-8.

Li-Yun, S., Aryee, S., & Law, K. S. (2007). High-performance human resources practices, citizenship behavior, and organizational performance: A relational perspective. Academy of Management Journal, 50(3), 558-577.

Locke, E. A., Latham, G. P., & Smith, K. J. (1990). A Theory of Goal Setting and Task Performance. Englewood Cliffs, NJ: Prentice–Hall.

Monteiro, L. (2012). Boas práticas de recursos humanos. O capital humano como fator de produtividade em Portugal. In A. L. Neves, & R. F. Costa (Eds.), Gestão de Recursos Humanos da A a Z (pp. 91-96). Lisboa: Editora RH.

Moreno, D. C. (2012). Prácticas de gestión humana en pequeñas empresas. Puntes del CENES, 31(54), 193-226.

Murphy, K. R., & Cleveland, J. N. (1995). Understanding Performance Appraisal: Social, Organizational, and Goal-Based Perspectives. Thousand Oaks, CA: Sage.

Nunes, A. M. (2015). 2014 foi o melhor ano de sempre do Turismo em Portugal, . Recuperado de http://www.turismodeportugal.pt/Portugu%C3%AAs/turismodeportugal/media/Documents/PR2015/23.02.2015-2014-foi-o-melhor-ano-de-sempre-para-o-turismo-portugues.pdf

Oliveira, E. (2014). The Tourism potential of Northern Portugal and its relevance for a regional branding strategy. International Journal of Akdeniz University Tourism Faculty, 2(2), 54-78.

Paşaoğlu, D. (2015). Analysis of the Relationship Between Human Resources Management Practices and Organizational Commitment from a Strategic Perspective: Findings from the Banking Industry. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 207, 315–324.

Peretti, J.-M. (2011). Recursos Humanos Função Pessoal e Gestão de Recursos Humanos (3ª ed.). Lisboa: Edições Sílabo.

Ponte, A. M. (2013). O contributo dos museus do norte de Portugal para uma dinamização do turismo cultural (Tese de Doutoramento). Recuperado do Repositório Aberto da Universidade do Porto.

Porter, M. E. (2002). The competitive advantage of corporate philanthropy. Harvard Business Review, 80(12), 56-69.

Portugal, N. M., & Caetano, J. (2014). Gestão de Recursos Humanos Desafios da Globalização. Lisboa: Escolar Editora.

Quivy, R., & Campenhoudt, L. (2005). Manual de Investigação em Ciências Sociais. Lisboa: Gradiva Editora.

Rego, A., Cunha, M., & Clegg, S. (2010). Liderança Global Virtuosa. Revista de Psicologia, 1(1), 9-32.

Robbins, S. P. (2008). O Segredo na gestão de pessoas (1ª ed.). V. N. Famalicão: Centro Atlântico.

Schuler, R. S., & Jackson, S. E. (2005). A Quarter-Century Review of Human Resource Management in the U.S.: The growth in importance of the international perspective. Management Revue, 16(1), 11-35.

Shanine, K., Buchko, A., & Wheeler, A. R. (2011). International Human Resource Management Practices from a complex adaptive systems perspective: An exploratory investigation. International Journal of Business and Social Science, 2 (6), 1-7.

Sousa, M. J., & Baptista, C. S. (2011). Como fazer Investigação, Dissertações, Teses e Relatórios segundo Bolonha (4ª ed.). Lisboa: Pactor.

Sousa, M. J., Duarte, T., Sanches, P. G., & Gomes, J. (2006). Gestão de Recursos Humanos Métodos e Práticas. Lousã: Lidel.

Stahl, G., Björkman, I., Farndale, E., Morris, S. S., Paauwe, J., Stiles, P., Trevor, J., & Wright, P. (2012). Six principles of effective global talent management. Sloan Management Review, 53(2), 25-42.

Tarique , I., & Schuler, R. S. (2009). Global Talent Management: Literature Review, Integrative Framework, and Suggestions for Further Research. Journal of World Business, 46(2), 122-133.

Tavares, M. M. (2010). A Gestão de Pessoas Novos rumos desta função nas organizações. Lisboa: Universidade Lusíada Editora.

Turismo de Portugal, G. (2014). Pessoal ao serviço 2004/2013. Recuperado de http://www.turismodeportugal.pt/Portugu%C3%AAs/ProTurismo/estat%C3%ADsticas/quadrosestatisticos/PessoalaoServi%C3%A7o/Pages/pessoalaoservico.aspx

Turismo de Portugal (2015). Oferta Hoteleira 2005/2014. Recuperado de http://www.turismodeportugal.pt/Portugu%C3%AAs/ProTurismo/estat%C3%ADsticas/quadrosestatisticos/ofertahoteleira/Pages/OfertaHoteleira.aspx

Ulrich, D., Jick, T., & Von Glinow, M. (1993). High-Impact learning: building and diffusing learning capability. Organizational Dynamics, 22(2), 52-66.

Vieira, J. M. (2007). O turismo em Portugal: "Situação atual e caminhos de futuro". Economia & Empresa, Lusíada, 7, 11-36.

Wang, S.-Y., Hsu, J. S.-C., Lin, T.-C., & Hung, Y.-W. (2014). Promoting uncommon knowledge use within is department: Human Resource Management perspective. PACIS2014 Proceedings Pacific Asia Conference on Information Systems, paper 159. Recuperado de http://aisel.aisnet.org/cgi/viewcontent.cgi?article=1231&context=pacis2014

Welch, J. (2011). Vencer (16ª ed.). Lisboa: Actual Editora.

Wright, P. M., & McMahan, G. C. (2011). Exploring human capital: putting human back into strategic human resource management. Human Resource Management Journal, 21(2), 93-104.




Copyright (c) 2017 European Journal of Applied Business and Management

ISSN: 2183-5594 

Indexing: GOOGLE SCHOLAR - LATINDEX - DRJI - ICI JOURNALS MASTER - REDIB