A eficiência individual dos colaboradores e performance organizacional – um estudo quantitativo

Manuel Sousa Pereira, António Cardoso, Frederico Guilherme D´Orey

Abstract


Objetivo: Este artigo parte da necessidade de compreender a gestão da comunicação nas pequenas e médias empresas ao nível das dinâmicas pessoal e empresarial, do desempenho empresarial, da reputação pessoal, da proatividade e dinâmica empresarial, da organização aprendente e da motivação e liderança pessoal.

Metodologia: Após a revisão da literatura, desenvolveu-se um estudo exploratório, com design descritivo (Malhotra, 2005) recorrendo ao questionário como instrumento de recolha de informação. O instrumento de pesquisa foi alvo de um pré-teste antes de ser administrado (Hill & Hill, 2002).

Resultados: No que concerne à satisfação dos funcionários podemos verificar que o aspeto mais relevante foi as condições laborais dos colaboradores, já como objetivos prioritários foram indicados, a melhoria das relações laborais, a melhoria das relações interpessoais e a melhoria da imagem da organização ou empresa. No que concerne à reputação verificamos que a qualidade dos produtos e serviços, a qualidade da gestão e liderança e a imagem de marca foram as respostas mais observadas.

Limitações da investigação: A utilização de uma única fonte de recolha de informação junto dos responsáveis pela gestão da comunicação nas organizações através de inquérito por questionário, limitando a dialética de compreensão global das suas opiniões sobre o tema.

Implicações práticas: Em termos práticos e operacionais permite compreender a dinâmica da eficiência individual dos colaboradores na performance organizacional e sistematizar considerações relevantes sobre esta temática.

Originalidade e valor: O seu principal contributo e valor consiste em analisar e compreender de forma mais eficiente a atitude dos gestores face à satisfação, atitude, envolvimento e comprometimento dos colaboradores e a sua relevância na performance e reputação organizacional. Os dados obtidos permitiram aferir também que os aspetos relevantes para a eficiência do desempenho dos colaboradores residem na atitude positiva, autoanálise, auto motivação, definição de objetivos, aliados à capacidade de gerar ação numa realidade organizacional cada vez mais exigente e competitiva.

 

Palavras-chave: Eficiência empresarial; Gestão da comunicação; liderança pessoal.


Full Text:

PDF

References


Barbieri, J.C., Vasconcelos, I.F.G., Andreassi, T., & Vasconcelos, F.C. (2010). Inovação e sustentabilidade. Revista de administração de empresas RAE, 50, 146-154.

Covey, S. R. (2005). O 8º hábito: da eficiência à grandeza. Lisboa: Ed. Dinalivro.

Dantas, H.S., & Queiroz, F.C. (2011). Comportamento Organizacional: criando vantagem competitiva. Acedido junho 21, 2017, em http://www.fibrapara.edu.br/seer/ojs/index.php/fibra_e_ciencia/article/view/55/49.

Dolan, S. L. & Garcia, S. (2006). Gestão por valores: um guia organizacional para viver, estar vivo e ter qualidade de vida no mundo global do séc. XXI. Porto: Ed. BioRumo.

González, B. & Atencio, E., (2010). Estrategias de servicio: elementos para el éxito empresarial in multiciencias: ciencias económicas y sociales, Maracaibo, 26 Junho 2010, 139-145.

Hill, M. & Hill, A. (2002). Investigação por Questionário. Lisboa: Edições Sílabo

Kotler, P. (2011). Marketing 3.0. Lisboa: Ed. Actual Editora.

Leite, N.R.P. & Albuquerque, L.G. (2010). A estratégia de gestão de pessoas como ferramenta do desenvolvimento organizacional. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 9, 31-53.

Malhotra, N. K. (2005). Pesquisa de marketing: Uma Orientação Aplicada. São Paulo, Bookma.

Maxwell, J.C. (2007). Talento não é tudo: descubra os 13 princípios para superar os seus talentos e maximizar as suas competências. Lisboa: Ed. Smartbook.

Mourato, D.C.C. (2011). As tecnologias solidárias: do investimento no conhecimento no conhecimento ao desenvolvimento pessoal. Web site. Acedido maio 18, 2017, em http://repositorio.ul.pt/handle/10451/4196.

Muniz, M.A., Fier, J.R. & Souza, E.F. (2010). Avaliação de desempenho como ferramenta estratégica para desenvolver pessoas. Web site. Acedido maio 2, 2017, em http://sare.anhanguera.com/index.php/anupg/article/download/4527/1450.

Nelo, S.T.B., Francischetto, M.A., Souza, S. & Machado, M.T. (2010). Motivação como valorização do capital intelectual no contexto da sociedade do conhecimento. In VII Simpósio de excelência em Gestão e Tecnologia, Rio de Janeiro, 23-25 Outubro, 2010.

Osório, J.M.P. (2009). Learning Organizations:As práticas de gestão de recursos humanos e o papel da cultura organizacional. Dissertação de Doutoramento, Escola de Economia e Gestão - Universidade do Minho, Portugal.

Pereira, C.M.M. (2010). Força das práticas de gestão de recursos humanos e liderança transformacional: impacto na performance organizacional. Web Site. Acedido maio 5, 2017, em http://hdl.handle.net/10071/3056.

Pinto, F. (2007). Balanced Scorecard: Alinhar Mudança, Estratégia e Performance nos Serviços Públicos. Lisboa: Edições Sílabo.

Robbins, S.P. (2008). O segredo na gestão de pessoas. Lisboa: Ed. Centro Atlântico.

Robbins, S.P. (2009). Fundamentos de administración (6nd ed.). México: Ed. Pearson Educación.

Robbins, S.P., Judge A.T., & Sobral, F. (2011). Comportamento organizacional, 14th ed. São Paulo: Ed. Pearson Prentice Hall.

Robbins, S.P., Judge, & T.A. Sobral, F. (2010). Comportamento organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro. São Paulo: Ed. Pearson Prentice Hall.

Roque, F.A.F. (2010). A medição da performance das organizações. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Economia - Universidade de Coimbra. Portugal.

Rubino, J. (2001). O poder do sucesso. São Paulo: Ed. Market Books.

Scofano, A.C. (2010). A transformação de uma organização tradicional em organização de aprendizagem. Web site. Acedido Maio 3, 2013, em https://repositorio-iul.iscte.pt/handle/10071/2796.

Sequeira, B. (2008). Aprendizagem organizacional e a gestão do conhecimento: uma abordagem multidisciplinar. In VI congresso Português de Sociologia: mundos sociais, saberes e práticas, Lisboa, 25-28 Jun. 2008, 1-15.

Túñez, L. M. (2012). La gestión de la comunicación en las organizaciones. Sevilla/Zamora: Comunicación Social Ediciones.




ISSN 2183-5594

Indexing: GOOGLE SCHOLAR - LATINDEX - DRJI